sábado, 3 de dezembro de 2016

As almas do purgatório

Quem pensa nos quatro “novíssimos” ou “quatro últimas coisas” (morte, juízo, inferno e paraíso) pode ficar curioso quanto ao Purgatório. Embora a Igreja não afirme conhecer pormenorizadamente a natureza do sofrimento que aflige as almas no purgatório, os comentários do Papa emérito Bento XVI e os escritos de Santa Catarina de Génova (1447-1510), especialmente o seu "Tratado sobre o purgatório", são ilucidantes. A santa descreveu o purgatório não como um lugar envolto em chamas, e sim como um estado em que as almas experimentam o tormento das chamas interiores por reconhecerem a sua profunda pecaminosidade diante da perfeição da santidade e do amor de Deus para com elas.

Rezemos pelas almas do Purgatório, para que, purificadas, possam interceder por nós no Céu.

Disponível:
http://senzapagare.blogspot.com.br/2016/11/as-aparicoes-das-almas-do-purgatorio.html

Domingo Advento (2)

Isaías 11 - Salmo 71 - Romanos 15
Mateus 13

Textos completos:

A terra estará tão repleta do saber do Senhor

quanto as águas que cobrem o mar.

(Isaías 11)


Se aproxima o tempo da graça e da salvação. Tempo do Espírito do Senhor e da "vingança de Deus". E de quem Deus se vingará? Se vingará do pecado e da morte, e da injustiça que desgraça a terra.

Os justos nada têm a temer, antes devem se amparar no Senhor e alegrar-se da sua chegada, pois ele vem para recolher seus frutos como ofertas agradáveis.

Está em nossas mãos preparar-nos na justiça e santidade, longe do pecado e da falta de amor para celebrarmos a visita do Filho de Deus em nossas vidas.

Ele vem pequenino e frágil, mas mudou o  mundo! Ele é a sabedoria dos humildes, oculta dos estultos deste mundo, perdidos em seus discursos de morte.


Padre Rodolfo Morbiolo

domingo, 27 de novembro de 2016

Programação Dezembro Natal e Ano Novo

Programação de Final de Ano 2016-2017

BINGO PAROQUIAL
Lar São Vicente – 18/12 – 14h

CONFISSÕES
Imaculado Coração – 09/12 – 15h
Cristo Libertador – 16/12 – 15h
Matriz – Mutirão – 16/12 – 19h

MISSAS
24 de dezembro – 18h – Véspera Natal (Matriz)
25 de dezembro
7h – Natal (Matriz)
8h30 – Natal (Cristo Libertador)
não haverá Missa na Com. Imaculado 10h15
19h – Natal (Matriz)

31 de dezembro – 18h – Véspera Ano Novo (Matriz)
01 de janeiro
não haverá Missa na Matriz 7h
8h30 – Mãe de Deus (Cristo Libertador)
10h15 - Mãe de Deus (Imaculado Coração)
19h - Mãe de Deus (Matriz)

Liturgia Viva

Vamos subir ao monte do Senhor, à casa do Deus de Jacó, para que ele nos mostre seus caminhos e nos ensine a cumprir seus preceitos. #Isaías2

#LiturgiaViva #PadreRodolfoMorbiolo

domingo, 20 de novembro de 2016

Cur Deus homo

Santo Anselmo
CUR DEUS HOMO

- condensado do argumento principal -

Tenho sido rogado freqüentemente por muitos, oralmente e por carta, que expusesse por escrito porque necessidade e por que razão Deus, sendo onipotente, tomou a humildade e a enfermidade da natureza humana para poder salvá-los.

Tentarei satisfazer aos seus pedidos, não para que pela razão se aproximem da fé, mas para que se deleitem das coisas que crêem pela inteligência e pela contemplação, e possam, o quanto possam, estarem preparados para darem uma satisfação àqueles que lhes perguntarem sobre a nossa esperança.
Vejamos primeiramente o que é pecar, e o que é satisfazer pelo pecado.

Se o anjo ou o homem sempre dessem a Deus o que lhe é devido, nunca pecariam, pois nada mais é pecar do que não dar a Deus o que lhe é devido, isto é, toda a vontade da criatura racional sujeita à vontade de Deus.

Quem não dá a Deus isto que lhe é devido, tira de Deus o que lhe é devido e o desonra, e isto é pecar. Enquanto não devolver o que é devido, permanece em culpa.

Não é suficiente, porém, devolver o que lhe foi tirado, pois pela injúria feita sempre deve-se devolver mais do que se tirou. É assim que não é suficiente para quem lesa a saúde de outro que lhe devolva a saúde, pois deve também, pela dor impingida, recompensar-lhe com algo mais. Do mesmo modo não é suficiente para quem viola a honra de alguém que lhe devolva a honra, pois deve também, de acordo com o dano que lhe causou, restituir-lhe algo a mais que seja de seu agrado.

Mas com que poderás resgatar a Deus pelo teu pecado? Arrependimento, um coração contrito e humilhado, abstinências, trabalhos corporais, misericórdia no dar e no perdoar e obediência? Em tudo isto, porém, o que dás a Deus? Ao dares a Deus algo que já lhe devias, mesmo que não tivesses pecado, não podes computar isto como o resgate que lhe deves pelo teu pecado. O que, pois, lhe darás pelo teu pecado? Se eu mesmo, e tudo o que eu posso, mesmo quando não peco, e Ele o devo para que não peque, nada mais terei com que possa resgatar pelo pecado.

Entretanto, ainda que estas coisas não as devesse já a Deus, mesmo estas não seriam suficientes para resgatar do pecado, mesmo de um pecado tão pequeno como um olhar contra a vontade de Deus.

Considera quão grave é o pecado. Se estás na presença de Deus e alguém te dissesse:
"Olha",
e Deus, ao contrário:
"De modo algum
quero que olhes",
pergunta em teu coração qual é o motivo que justificaria ir contra a vontade de Deus.

Se necessário fosse olhar para que todo o mundo e tudo o que não é Deus não perecesse e não voltasse ao nada, mesmo se houvessem muitos mundos cheios de criaturas e que estas se multiplicassem ao infinito, nem por isto deverias olhar, o que não significa outra coisa senão que tudo isto é de menos valor do que a gravidade do pecado.

Ninguém, pois, poderá satisfazer pelo pecado, por menor que seja, a não ser quem puder resgatar pelo pecado do homem com algo que seja maior do que tudo o que não é Deus.

Ora, somente poderá dar algo de seu a Deus que seja maior do que tudo o que há debaixo de Deus aquele que for maior do que tudo aquilo que não é Deus. Ninguém, porém está acima de tudo o que não é Deus senão Deus.

Portanto, não poderá satisfazer pelo pecado do homem ninguém, senão só Deus. Mas também não o poderá fazer, se não for homem, caso contrário não será o homem que dará a satisfação.

É necessário, portanto, que esta satisfação venha do Deus homem. A razão, portanto, nos ensina que quem satisfará pelo pecado do homem deve possuir algo maior do que tudo o que há debaixo de Deus, e que o dê espontaneamente, e não por uma obrigação, a Deus. Deverá, pois, se pôr a si mesmo para a honra de Deus, ou algo de si mesmo que de algum modo já não o devesse a Deus.

Se, porém, o Filho de Deus der a sua vida a Deus, ou se se oferecer à morte para a honra de Deus, isto Deus não o exigiria dele, porque a morte entrou no mundo pelo pecado, e o Deus homem não tendo pecado, não seria obrigado a morrer.
É fácil também ver que a morte deste homem é maior do que tudo aquilo que há ou pode haver no mundo.

Considera que se alguém te dissesse:
"Se não matares este homem,
perecerá todo este mundo
e tudo o que não é Deus",
deverias matá-lo para conservar todas as demais criaturas? Não o farias, certamente, mesmo que te mostrassem um número infinito de criaturas. E se te dissessem:
"Ou o matas,
ou todos os pecados do mundo
cairão sobre a tua alma"?

Deverias responder que mais preferirias que caíssem sobre a tua alma todos os pecados não só deste mundo, como de todos os que existiram e de todos os que existirão, do que matar a este homem.

Mas por que esta é a resposta que deverias dar, senão porque a vida deste homem, ou mesmo uma sua pequena lesão, vale mais do que todos os pecados do mundo? De onde que se segue que esta vida é mais amável do que são odiáveis todos os pecados.

Não vês que um bem tão amável pode ser suficiente para pagar o que é devido pelos pecados de todo o mundo? Na verdade o pode mais ao infinito.

Vê-se, portanto, como esta vida pode vencer todos os pecados, se por eles for entregue.
Se, porém, o Filho de Deus oferecer espontaneamente a Deus um dom tão grande assim, não é justo que fique sem retribuição. Mas o que se lhe dará que como Deus já não o tivesse, ou o que se lhe perdoará, se nada devia? Antes que o Filho oferecesse sua vida ao Pai, tudo o que era do Pai também era seu, e nunca deveu nada que pudesse ter que lhe ser perdoado.

Vê-se, assim, por um lado, a necessidade de ser recompensado,e por outro, a impossibilidade de se o fazer. Mas se o Filho quisesse o que a si é devido, dá-lo a outrem, poderia o Pai proibir-lhO?

Mas a quem mais convenientemente atribuiria o fruto e a retribuição de sua morte senão àqueles por quem se fêz homem para os salvar e aos quais morrendo deu o exemplo de morrer pela justiça? Inutilmente seriam seus imitadores, se não pudessem ser partícipes de seus méritos.

Ou a quem mais justamente faria herdeiros da dívida, da qual ele não necessita, e da exuberância de sua plenitude, do que aos seus pais e irmãos? Nada mais racional, nada mais doce, nada mais desejável o mundo jamais poderá ouvir. É evidente que Deus jamais rejeitará a nenhum homem que dele se aproxime sob a tutela de seu nome. Verdadeiramente quem sobre este fundamento edifica, está alicerçado sobre uma rocha firme.

Quem poderá conceber uma misericórdia maior do que o pecador, condenado ao eterno tormento, sem ter como redimir-se, ao qual Deus Pai se dirige e lhe diz:
"Aceita o meu Filho Unigênito,
e ele te redimirá?"
E o próprio Filho:
"Toma-me contigo,
e redime-te?"
Pois é de fato isto o que dizem, quando nos chamam à fé cristã e a ela nos trazem.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Ave Maria 😄

A Oração da Ave Maria
em vários Idiomas

Latim
Ave Maria, gratia plena, Dominus tecum:benedicta tu in mulieribus et benedictus fructus ventris tui Iesu.Sancta Maria, Mater Dei, ora pro nobispeccatoribus, nunc et in hora mortis nostrae. Amen

Francês
Je vous salue, Marie pleine de grâce, le Seigneur est avec toi.Tu es bénie entre toutes les femmes et Jésus,le fruit de tes entrailles, est béni.Sainte Marie, Mère de Dieu, prie pour nous, pauvres pécheurs,maintenant et à l'heure de notre mort. Amen.

Italiano
Ave Maria piena di grazia, il Signore è con te.Tu sei benedetta tra le donne e benedetto è il frutto del tuo seno Gesù.Santa Maria, Madre di Dio, prega per noipeccatori, adesso e nell'ora della nostra morte. Amen.

Inglês
Hail Mary, full of grace, The Lord is with thee;Blessed art thou among women and blessed is the fruit of thy womb, Jesus.Holy Mary, Mother of God, pray for us sinners nowand at the hour of our death. Amen.

Espanhol
Dios te salve María llena eres de Gracia, el Señor es contigo.Bendita eres entre todas las mujeres y bendito es el fruto de tu vientre Jesús.Santa María, Madre de Dios, ruega por nosotros los pecadores ahoray en la hora de nuestra muerte. Amén.

Alemão
Gegrüßet seist du, Maria, voll der Gnade, der Herr ist mit dir.Du bist gebenedeit unter den Frauen, und gebenedeit ist die Frucht deines Leibes, Jesus.Heilige Maria, Mutter Gottes, bitte für uns Sünder jetztund in der Stunde unseres Todes. Amen.

Pequena Catequese sobre
Nossa Senhora

Toda Santa, Maria é proclamada pelo Cristianismo desde suas origens mais remotas como a Virgem Mãe do Salvador. Um mistério escutado na fé: não tocada por José, por nenhum outro homem, Maria se conserva toda de Deus.

Imaculada, Maria foi preparada por Deus Pai para gerar Jesus, seu Filho, Nosso Senhor. Puríssima devia ser a Mãe do nosso Rei. Sem pecado, para gerar aquele que tira o pecado do mundo.

Tudo que a Igreja Católica crê a respeito de Maria, crê por causa de Jesus. O centro do Evangelho é a Palavra do Pai encarnada no ventre de Maria. Ventre consagrado para nossa Salvação.

O maior título de Maria sempre foi o de Mãe de Deus. O Filho de Deus fez-se homem no seu ventre e veio ao mundo no regaço acolhedor da humilde família de Nazaré.

Maria é Rainha em sentido relativo. O é para nós, Igreja, os crentes de todos os tempos do cristianismo, que amargamos a ausência de Jesus neste vale de lágrimas, que logo terá um fim, nos braços do Criador.

Como poderia terminar a vida de Maria? Exatamente como termina a vida do ser humano batizado: mergulhado no mistério de Cristo. Maria está no Céu, como sinal da Igreja que caminha para o encontro com Jesus.

O povo chama Maria de Nossa Senhora. E assim, tem a Mãezinha do Céu mais próxima da terra, do Coração. E se a voz do povo é a voz de Deus, porque Ele, o Todo Poderoso, haveria de se incomodar com isso?

Há 300 anos, Maria quis aparecer em águas brasileiras, nas mãos de pobres pescadores. Homens que falam da simplicidade deste povo que tenho a alegria de pertencer. Filho do Brasil, filho de Maria, Senhora Aparecida.

Envie pra seus amigos.
Compartilhe. Evangelize! 😄